Confira quais impactos a estação das águas pode causar no plantio!

4 minutos para ler

Com a chegada da estação das águas, é hora de se dedicar às safras de verão. No entanto, em alguns anos, o período de seca pode ser prolongado, o que atrasa o início das chuvas. Quando elas começam, comumente o produtor tem que lidar com outro problema. Apesar de o aumento da umidade do solo trazer condições propícias ao desenvolvimento das plantações, chuvas intensas podem gerar problemas.

Esses episódios afetam o cronograma dos plantios e podem reduzir sua produtividade, por isso um bom planejamento é necessário para evitar perdas. Neste post, você vai conhecer os principais impactos que as irregularidades do clima podem trazer às safras de verão e descobrir como reduzir as perdas nas lavouras. Vamos lá?

O impacto da seca prolongada nas safras de verão

Quando a época das chuvas demora a chegar, diversos fatores podem prejudicar o rendimento das safras de verão. Com o avanço das mudanças climáticas, a tendência é que essa situação se torne mais comum no Brasil.

Uma estação seca mais longa pode trazer desequilíbrios fitossanitários. Com a baixa umidade, a dispersão de determinados tipos de pragas pode ser favorecida, bem como sua persistência nas culturas.

Outro problema é o comprometimento do desenvolvimento das safras de verão devido à falta de umidade do solo. Com isso, a necessidade de irrigação aumenta, o que encarece os custos do produtor.

Com a redução das chuvas em algumas regiões do Brasil, resultado da tendência de aumento da temperatura média global apontada pelo IPCC, o zoneamento climático da agricultura será alterado nos próximos anos.

Com mudanças na favorabilidade das culturas em cada região, as áreas de cultivo serão reduzidas em áreas onde já estão estabelecidas. Além disso, regiões que hoje são propícias a determinados tipos de cultura poderão ser favoráveis a outras no futuro.

O impacto da estação das águas nas lavouras

Fortes precipitações podem afetar os cultivos de várias formas. Vejamos alguns exemplos.

Comprometimento da mecanização

A inundação das áreas de cultivo dificulta a passagem das máquinas, atrapalhando as atividades de fertilização, semeadura e colheita.

Erosão

Chuvas intensas aumentam o desprendimento e o arraste de solo, ou seja, a erosão. Com isso, nutrientes e outros insumos aplicados aos plantios são perdidos. Curvas de nível também podem ser destruídas, desorganizando a produção.

Atrasos no manejo das culturas

O andamento das atividades envolvidas na produção agrícola pode ser prejudicado na estação das águas. Adiamentos podem ser necessários na aplicação de fertilizantes e pesticidas, o que atrasa a colheita.

Prejuízos ao desenvolvimento dos plantios

Com os solos encharcados, podem ocorrer anomalias na germinação das sementes e no crescimento das raízes. Ademais, com a menor incidência da luz solar em dias nublados e chuvosos, há queda no desenvolvimento das plantas devido à redução da atividade de fotossíntese.

A ocorrência de doenças como a ferrugem e outras causadas por fungos também aumenta, o que pode reduzir a produtividade, caso não sejam aplicadas técnicas para um manejo eficiente das plantações.

A importância do planejamento na gestão agrícola

Uma má gestão da produção agrícola pode levar à vulnerabilidade diante das condições climáticas. Por isso, é importante que o produtor se organize para minimizar os riscos das chuvas intensas.

Acompanhar a previsão do tempo e suas implicações na agricultura é essencial. De posse dessas informações, o empreendedor pode definir as melhores datas para plantio, aplicação de fertilizantes e defensivos agrícolas. Outro aspecto é o monitoramento de pragas, importante para definir qual a melhor solução para controle de insetos, fungos e outros patógenos.

No mercado, já existem diferentes aplicativos para monitoramento agrícola. Com o uso da internet, você pode otimizar a gestão do seu negócio.

Para atenuar os riscos da erosão, é interessante optar pelo plantio direto. Com essa técnica, o arraste da camada superficial de solo devido às chuvas é reduzido, assim como a perda dos insumos aplicados.

Logo, caso não seja feito um bom planejamento agrícola durante todo o ano, quedas na produtividade podem ocorrer na estação das águas. Assim, é importante que o produtor esteja atento às condições climáticas e utilize um manejo eficiente para evitar perdas em seus cultivos.

Este post foi útil para você? Ficou com alguma dúvida? Então, deixe seu comentário!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-