5 dicas de como fazer a manutenção de um curral

curral
4 minutos para ler

O curral é um dos locais mais importantes das fazendas e não é à toa que é preciso um alto investimento para a construção dos mesmos. Sendo assim, a última coisa que o produtor rural quer é ter prejuízo gastando muito com problemas inesperados, não é mesmo?

Algumas práticas de manejo ajudam a prolongar a vida útil do curral e, consequentemente, permite que o produtor rural tenha uma economia considerável com consertos.

Neste post, você conhecerá 5 práticas de manejo de currais para adotar em sua fazenda. Confira!

1. Dê sustentação às remangas calçando os arames

Com o passar do tempo, o arame das remangas acaba se afrouxando devido ao contato direto com intempéries, principalmente o calor, que dilata o material.

Para evitar esse afrouxamento, basta colocar pequenos pedaços de madeira — as cunhas, nos vãos das lascas, onde passam o primeiro e último fios de arame da cerca.

A cunha deve ser colocada dos dois lados, permitindo que a estrutura fique travada, dividindo o peso dos animais entre as lascas e os palanques, dando sustentação a toda a cerca.

2. Construa drenos para evitar a formação de lama

O ideal ao se construir um curral é escolher um terreno com declividade que ajude no escoamento da água da chuva e que tenha boa drenagem. No caso de um curral que já foi construído e apresenta problemas de encharcamento, o certo é fazer drenos em pontos estratégicos.

Um curral com uma boa drenagem evita problemas sanitários — pois a lama causa lesões nos cascos do gado, e proporciona maior durabilidade dos palanques que ficarão menos tempo em contato com a umidade.

3. Cubra os buracos com terra, não com pedra

Com o vai e vem dos animais, a terra dos currais acaba se deslocando, principalmente na entrada e na saída das porteiras, favorecendo o acúmulo de água e a formação de lama nos currais, além de provocar um desgaste prematuro dos palanques.

É muito comum os produtores usarem pedras para preencher os buracos, porém elas se soltam com muita facilidade e, muitas vezes, acabam criando outro problema: o boi pode pisar em falso e quebrar o casco.

Por isso, opte por usar terra para preencher as concavidades no solo, garantindo a funcionalidade do curral e o bem-estar dos animais.

4. Faça rampas no piso de concreto

O piso de concreto da seringa ou do corredor que dá acesso a ela não deve terminar abruptamente formando um degrau, pois, sem o apoio do chão firme, a ponta do piso se quebra com facilidade.

O adequado é construir uma rampa de cerca de 45° na extremidade do piso, prolongando-a por 40 cm ou 50 cm de profundidade, recobrindo-a totalmente com terra.

5. Proteja os palanques e tábuas de madeira

É importante impermeabilizar as peças de madeira para aumentar sua vida útil: um método muito comum é usar óleo queimado. Pra isso, é preciso mergulhar a peça em um recipiente com o óleo e deixá-la descansando de um dia pro outro, para que o óleo possa penetrar de 3 mm a 4 mm na madeira.

O impermeabilizante asfáltico, apesar de ser menos utilizado pelo seu preço elevado, é o mais recomendável por proporcionar maior eficiência.

A manutenção de currais é de extrema importância para o bem-estar do rebanho, além de evitar que o produtor rural seja pego de surpresa e tenha gastos muito altos com consertos inesperados.

A lista dos benefícios decorrentes da adoção das práticas de manejo de currais é grande, não deixe de providenciar as mudanças necessárias para prolongar a vida desse local tão importante para as fazendas!

Agora que já aprendeu as 5 práticas de manejo de currais mais usadas, descubra a importância da ventilação na criação de vacas!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-