5 dicas para a implantação do sistema de pastejo rotacionado

3 minutos para ler

Quem trabalha com agropecuária e se preocupa em manter a qualidade do pasto não pode deixar de conhecer o sistema de pastejo rotacionado. Trata-se de um método que, apesar de, hoje, ser considerado como modismo, é bastante antigo. Uma análise mais profunda permite descobrir diversas vantagens relacionadas a esse sistema, e que não podem ser ignoradas.

Neste post, entenderemos como oferecer o melhor pasto para os seus animais, além de melhorar o manejo do seu empreendimento. Confira agora o conteúdo completo!

O que é sistema de pastejo rotacionado?

Basicamente, implementar esse tipo de sistema significa subdividir a pastagem em quantidades variáveis de piquetes. Eles servem para serem utilizados, um em seguida do outro, e reter uma quantidade fixa ou alternada de animais.

Como vantagens do pastejo rotacionado podemos destacar o manejo mais equilibrado durante a colheita da forragem, além de um melhor aproveitamento do pasto, permitindo o controle da sua desuniformidade.

A utilização do método também permite controlar a periodicidade de desfolha do capim, o que possibilita uma regeneração adequada e evita a degradação da pastagem.

Como implementá-lo?

Se você achou o pastejo rotacionado uma boa ideia, confira agora as 5 melhores dicas para implementá-lo na sua fazenda.

1. Divida e cerque os piquetes

Aproveite as divisões anteriores ou redistribua a pastagem considerando a quantidade de animais e as plantas forrageiras do lugar.

O cercamento pode ser realizado com o arame e as lascas de outras cercas que já foram utilizadas antes.

Cercas elétricas são uma boa opção, pois o preço da sua instalação em grandes áreas é quatro vezes menor que o das cercas convencionais.

2. Defina o melhor formato dos piquetes

Os piquetes, na forma de quadrados ou retângulos, são mais indicados, pois sua eficiência está relacionada ao pastejo mais uniforme do rebanho.

3. Escolha a quantidade ideal de piquetes

Para realizar o cálculo da quantidade ideal de piquetes, considere o tempo de descanso e ocupação apropriados da planta forrageira em questão. Veja a equação:

  • quantidade de piquetes = (tempo de descanso / tempo de ocupação) + 1.

Dessa maneira, maior será a necessidade de piquetes e menor o tempo de ocupação para o descanso. Caso o nível de crescimento da planta forrageira seja alto, o tempo de ocupação deve ser menor.

4. Determine o tempo de ocupação dos lotes

Defina o tempo de ocupação dos piquetes analisando a infraestrutura disponível e também a frequência de crescimento das plantas.

O crescimento delas alterna muito para cada região e é necessário fazer uma boa análise da época de rebrota para definir corretamente os períodos de repouso.

5. Construa áreas de descanso comuns

A criação de áreas de descanso comuns a todos os pastos é responsável por gerar economia no sistema rotacionado. Essa construção pode ser realizada por meio de um corredor ou na separação entre quatro lotes.

Agora que recebeu as melhores dicas de como realizar um pastejo rotacionado, não perca a oportunidade de colocar a mão na massa e implementar esse sistema na sua fazenda.

Se você gostou do post, deixe um comentário aqui embaixo. Sua opinião é muito importante para nós!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-